Braskem

Notícias

Do plantio da cana à gôndola do supermercado: a sustentabilidade em toda a cadeia produtiva e no dia a dia da população

Há mais de 10 anos no mercado, o plástico da Braskem, produzido a partir da cana-de-açúcar da Raízen, recebe certificação internacional Bonsucro, que assegura boas práticas do plantio, cultivo e processamento da commodity

A produção de plástico a partir da cana-de-açúcar no Brasil completou 11 anos em setembro de 2021 e vem contribuindo para a mitigação das mudanças climáticas e para minimizar impactos ambientais em diversos setores da economia, a exemplo dos milhares de produtos comercializados no Brasil e no mundo que já usam plástico renovável. Em mais um passo importante nessa jornada, a Braskem, líder de mercado e pioneira mundial na produção de biopolímeros em escala industrial, agora é fornecedora de resinas renováveis, produzidas por meio de etanol da Raízen, empresa integrada de energia, referência global em bioenergia e uma das maiores produtoras de cana-de-açúcar do país, certificadas pela Bonsucro - um padrão global para a cadeia de produção e suprimento da cana-de-açúcar. Pioneira no desenvolvimento da tecnologia para produção de plástico a partir da commodity renovável, a Braskem é a única empresa brasileira do segmento a receber o reconhecimento.

 Criada em 2005, a Bonsucro é a plataforma global de sustentabilidade da cana-de-açúcar. Seu propósito é acelerar coletivamente a produção e os usos sustentáveis da cana-de-açúcar para agricultores, usinas, compradores e usuários finais. Reúne seus membros e outros parceiros para enfrentar os desafios críticos do setor sucroenergético e impulsionar o desempenho e o impacto positivo. Por meio de seu sistema de certificação em padrões de sustentabilidade para a cana-de-açúcar, a Bonsucro visa assegurar que a produção e o processamento da cana-de-açúcar ocorram de forma social e ambientalmente responsáveis, com base em critérios internacionais rigorosos.

 Certificação no plantio, cultivo e processamento da cana-de-açúcar

 Além de assegurar práticas sustentáveis ligados ao bom uso da terra, à proteção da biodiversidade e à gestão hídrica responsável, por exemplo, a Bonsucro também verifica questões como segurança do trabalho, condições trabalhistas e a ausência de impactos negativos nas comunidades próximas aos canaviais e usinas. A Raízen é parceira da Braskem no fornecimento do etanol produzido a partir da cana-de-açúcar e detentora do maior volume do mundo (em média 27% ao longo dos últimos anos) de cana com certificação Bonsucro. "O Brasil se tornou referência global em produção de cana e seus derivados com esta certificação internacional, tendo cerca de 52% do total de usinas com o selo no mundo e diversas experiências de sucesso, que associam alta produtividade às melhores práticas de gestão e sustentabilidade das operações", afirma André Valente, gerente de Sustentabilidade da Raízen.

 Segundo Valente, em termos de negócio, "ter a certificação Bonsucro significa geração de valor compartilhado, diferenciação de produtos, garantia da origem sustentável, alcance a mercados e clientes exigentes em requisitos sociais e ambientais, consolidação das melhores práticas em sustentabilidade, construção de relacionamentos conscientes e melhoria da imagem da empresa". Hoje, a Raízen detém o maior volume do mundo certificado pela Bonsucro, com cerca de 25% de todo volume de cana e 23 dos 31 Parques de Bioenergia em operação já são certificados. A previsão é que até 2030 todas as unidades estejam certificadas. Essa estratégia de certificações abrange, também, a produção de etanol de segunda geração (E2G), produzido a partir do bagaço da cana-de-açúcar.

 Plástico mais sustentável para a indústria brasileira

 Para certificar a Braskem, a Bonsucro avaliou os seus processos de rastreabilidade desde a matéria-prima até os seus produtos finais certificados e a cadeia de abastecimento upstream, considerando boas práticas aplicadas, desde o plantio, cultivo e processamento da cana. "Essa certificação reconhece nossos esforços em busca de uma operação ambientalmente responsável, agregando ainda mais valor ao nosso portfólio I'm greenT bio-based, que fornece soluções em polietileno e EVA, produzidos a partir da cana-de-açúcar. Além de nossa reconhecida marca I'm greenTM, os brand owners, que usam nossas resinas renováveis, ??podem optar por se tornarem membros e buscarem a certificação Bonsucro para aplicar o selo em seus produtos. Para isso, tanto o transformador quanto o brand owner precisam aderir à plataforma Bonsucro e submeter seus processos a uma auditoria realizada por uma entidade certificadora terceirizada", explica Marco Jansen, líder global de biopolímeros na Braskem.

 Na Braskem, a certificação Bonsucro reforça o compromisso da companhia com a economia circular  e com a neutralidade de carbono até 2050. "Estamos dedicados a ajudar a transformar um pensamento econômico linear em um modelo circular, cobrindo cada etapa da cadeia de valor. Desde a seleção de matérias-primas até o retorno dos resíduos pós-consumo, após a reciclagem, para a cadeia produtiva, buscamos constantemente melhorar nossos biopolímeros, tornando essas soluções mais valiosas e competitivas. Ser a primeira produtora de bioplásticos que atende às exigências da Bonsucro, é um reconhecimento importante à jornada que estamos trilhando, além de um forte indicativo de que estamos no caminho certo", afirma Jansen.

 Soluções sustentáveis para atender as necessidades da população

 O plástico I'm greenT bio-based da Braskem já é utilizado nos mais diversos segmentos como alimentos, bebidas, higiene pessoal e bens duráveis, entre outros. O avanço desta solução no mercado está diretamente relacionado ao aumento da demanda de grandes brand owners comprometidos com a utilização de matérias-primas renováveis e/ou recicladas e com a economia circular, além da expansão da demanda por biopolímeros.

 A produção de polietileno I'm greenT bio-based da Braskem foi reconhecida pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Brasil do Pacto Global como um dos cases mais transformadores em desenvolvimento sustentável no Brasil. Um dos principais diferenciais do produto é a captura de até 3,09 toneladas de CO2 para cada tonelada de PE renovável produzida. O material mantém as mesmas propriedades, desempenho e versatilidade do plástico de origem fóssil, podendo ser inserido nas mesmas cadeias de produção e reciclagem existentes.

 O primeiro cliente da Braskem a obter a certificação Bonsucro foi a Tetra Pak. Em 2019, a empresa - líder mundial de soluções para processamento e envase de alimentos - tornou-se a primeira na indústria de alimentos e bebidas a fornecer polímeros vegetais de maneira responsável usando os padrões Bonsucro para a cana-de-açúcar sustentável.
 "Nossos polímeros renováveis à base de plantas são totalmente rastreáveis, desde a sua origem na cana-de-açúcar. Nossa ambição é clara, queremos que todas as nossas embalagens sejam feitas a partir de polímeros renováveis ou reciclados. Esse é um marco em nossa jornada em direção à embalagem mais sustentável do mundo: uma caixinha feita de materiais renováveis, totalmente reciclável e neutra em carbono", acrescentou Julian Fox, diretor de programas relacionados à Natureza na Tetra Pak.

 Na Braskem, a certificação Bonsucro foi concedida ao complexo industrial da cidade de Triunfo, no Rio Grande do Sul, onde o polietileno e o EVA I'm greenT bio-based são produzidos (Q 2, PE 4, PE 5 e PE 6), bem como às instalações de armazenamento responsáveis pela distribuição de soluções no Brasil e em outros países.  
 

Para esclarecimentos adicionais à imprensa, favor contatar:
CDN Comunicação 

braskem@cdn.com.br    

(11) 3643-2906

(11) 3643-2919

 

Braskem nas redes sociais

Facebook | Linkedin | Twitter